segunda-feira, 5 de maio de 2008

È sempre cedo ter que ir embora


O fotògrafo è um nostàlgico.
Nao se contenta em apenas guardar a vida na memòria, quer registrar todos os detalhes possìveis e deixar sempre ao alcance dos olhos para quando sentir o passado muito distante.

O fotògrafo è possessivo, mas gosta de compartilhar. Na sua maneira de mostrar a alma, pede emprestado pedaços visìveis do mundo e os guarda dentro do tempo.

Os sabores jà nao estao na boca, o aroma do cafè se perde no ar, sons e lìnguas estranhas que nao se ouvem mais.
E somente os olhos serao capazes de trazer de volta tudo que o coraçao foi capaz de sentir um dia?

Foto: Isabela Lyrio
Pueblo Tapao - Colombia

Depois de quase quatro meses viajando pela Colômbia, volto hoje ao Brasil. A Colômbia é muito especial, a natureza é exubertante, a gente amável. Desde o primeiro dia sabia que tava no paraíso, e talvez seja cedo para ir embora, porque essa energia é arrebatadora, o ar puro e verde, o frio das montanhas e o calor dos vales e desertos, a brisa do Caribe, me enchem de energia, plena de vida, quase brilhando...



Ps: Gracias ao Joao pelo tìtulo.

2 comentários:

Armando disse...

Outros sabores aparecerão.
E de repente... perceberá nuances na sua velha casa que nunca havia se dado conta.
É cedo para ir embora.
Nunca é tarde para voltar.

Seja bem vinda de volta!

Glória disse...

A foto está interessante apesar do excesso e da minha antipatia pelas grandes angulares. Neste caso, a grande angular ao alterar as proporções resultou bem.Por vezes fere-me esta moda das grandes angulares a fotografar pessoas. O texto é interessante, também. Gostei daquela parte " O fotógrafo é possessivo, mas gosta de compartilhar. Na sua maneira de mostrar a alma, pede emprestado pedaços visíveis do mundo e os guarda dentro do tempo".Tudo voa, tudo se desfaz, tudo é uma miragem porque tudo se desvanece. A fotografia é uma brincadeira gira que em última instancia nos leva a reflectir sobre o sentido transitório de tudo.