terça-feira, 11 de março de 2008

Foi o Drº Delegado que disse


A polícia ainda investiga o caso, mas, ao que tudo indica, a morte do desempregado Rogério Brasileiro dos Santos, 29 anos, foi mesmo acerto de contas. Por volta das 21h30 do último domingo, ele levou dois tiros no abdômen, em via pública do conjunto 75 do Setor "O", e morreu na manhã de ontem no Hospital Regional de Ceilândia (HRC).
"Ele estava indo à padaria na companhia de sua mãe e de sua esposa, Alcirene Fernandes da Conceição", contou o delegado-chefe da 24ª Delegacia de Polícia do Setor "O" de Ceilândia, Vivaldo José Nunes. Segundo ele, o assassino, Max de Jesus, 19 anos, conhecido na localidade como "Madruga", tem várias passagens pela polícia por roubo, porte de droga e tentativa de homicídio. De acordo com o delegado, Max aproveitou o momento em que a vítima havia se distanciado dos parentes, quando voltava para casa, e efetuou os dois tiros. "Quando a mãe dele ouviu os disparos, correu para ver o que era e encontrou o filho no chão, ensangüentado e pedindo por socorro", informou Vivaldo.
A vítima foi encaminhada ao HRC por um desconhecido que estava passando pelo local. Rogério ainda chegou a receber cuidados médicos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Arthur Monteiro

2 comentários:

Fenrisar disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

Anônimo disse...

Rinaldo Morelli falou:

Legal a idéia da mini-crônica, mas neste caso faltou uma legenda para foto.
Quem é o cara? O Padre? Delegado? Assassino? Parente da vítima?
Fica a sugestão.